Jovens manifestam contra comemoração do golpe militar no RJ e exigem punição aos assassinos e torturadores!


Ontem (dia 29/03/12) o clube militar do Rio de Janeiro (Cinelândia) convocou seus associados para um evento chamado “1964: A verdade”, que chamava o golpe de “revolução democrática” e defendia que a ditadura era uma defesa da democracia na pátria, pra que não houvesse uma “ditadura comunista”.
Uma manifestação de repúdio foi convocada e teve adesão de vários jovens e organizações políticas para lembrar e repudiar as barbaridades causadas pelo regime militar brasileiro. Cerca de trezentos jovens compareceram ao ato, com faixas, bandeiras e cartazes e lembraram de nomes históricos da luta contra a ditadura. Foram lidos todos os nomes de desaparecidos enquanto os jovens gritavam: Presente! Também era possível ouvir palavras de ordem exigindo punição aos torturadores. Os militares da reserva que iam chegando eram vaiados e xingados pelo público.
A polícia militar e o choque como era de se esperar cumpriram o papel nefasto de proteger os torturadores e atacar os manifestantes com bombas de gás lacrimogêneo, spray de pimenta e até choques da arma “Tazer” que dá choques violentos. Dois jovens que protestavam foram presos.
É preciso dizer que nós não vamos aceitar que a polícia nos reprima, numa passeata que não foi violenta, para defender quem por mais de 20 anos torturou, matou, estuprou vários de nossos companheiros e companheiras.
Exigimos a punição daqueles que são os responsáveis pelo período mais violento da história do Brasil. Por isso é necessário revogar a Lei da Anistia, que serve para proteger os militantes. Esse deveria ser o ponto de partida de qualquer comissão da verdade para entregar os corpos dos que foram mortos e punir os torturadores.
A JR que tomou parte desse ato ontem, está ainda solidária aos companheiros da Organização “Levante Popular da Juventude” que tem realizados ações de denuncia dos torturadores que até hoje estão impunes! Eles tem recebidos várias mensagens de ameaça e tiveram seu site atacado durante horas, como o nosso site que foi atacado há algumas semanas por exigir o fim da ocupação militar da ONU do Haiti e de qualquer país. São ataques inaceitáveis à democracia!
Artur Ribeiro, militante da Juventude Revolução no RJ

Postagens mais visitadas