Plástico no Pacífico aumentou 100 vezes em 40 anos



Fonte Info Exame


Cientistas da Universidade da Califórnia, EUA, descobriram que a quantidade de plástico no Oceano Pacífico aumentou mais de 100 vezes durante os últimos 40 anos. Essa alta concentração de lixo é responsável por alterações no ambiente marinho.


Atualmente, a massa de lixo na região do Giro Subtropical do Norte do Pacífico, a Grande Mancha de Lixo do Pacífico, ocupa uma área equivalente a duas vezes o território de Goiás, cerca de 695.660 km2.


Cerca de 100 milhões de toneladas de plástico são produzidos anualmente. Aproximadamente 10% dessa quantidade coloca em risco a vida dos animais. Essa quantidade de plástico que vai para os oceanos é composta de partículas que medem menos de cinco milímetros. Apesar de parecer pouco, essa quantidade é capaz de alterar o ecossistema marinho por favorecer a reprodução de um tipo de inseto que serve de alimento para peixes, tartarugas e aves.


Com o descarte inadequado de materiais feitos de plástico, os animais marinhos ingerem plásticos e elementos tóxicos. Uma das grandes preocupações dos cientistas está no crescimento da população do Halobates sericeus, um inseto oceânico conhecido por sua habilidade de caminhar sob a água.


O acúmulo de plástico no Pacífico Norte virou uma nova moradia a esses insetos, que dependem de superfícies fixas para colocar ovos. Esta situação coloca em risco o zooplâncton e os ovos de peixe, que servem de alimentos aos insetos marinhos. Logo, se este crescimento continuar, é possível que ocorra um desequilíbrio na cadeia alimentar marinha.

Postagens mais visitadas